sábado, 15 de abril de 2017

Uma doce Páscoa abençoada

A Páscoa é uma festividade religiosa que significa a ressurreição de Jesus Cristo, 3 dias após ter sido sacrificado na cruz como representação da libertação da humanidade para que alcançasse através desse ato de amor infinito, a plenitude da paz. O nome no hebraico tem o significado de passagem (Pessach) e quer dizer a libertação dos hebreus no Egito. A data corresponde a um feriado móvel, sempre celebrado no domingo, entre os dias 22 de março e 25 de abril e é considerada a principal celebração do calendário cristão.

A ressurreição de Jesus é o acontecimento central da fé cristã. Ninguém viu Jesus ressuscitar e a descoberta do túmulo aberto e vazio, as manifestações do Senhor ressuscitado são a prova de que Ele venceu a morte, e está vivo:

Então o anjo disse para as mulheres (Maria Madalena e a outra Maria): "Não tenham medo! Sei que vocês estão procurando Jesus, que foi crucificado, mas ele não está aqui; já foi ressuscitado como tinha dito. Venham ver o lugar onde ele foi posto. Agora vão depressa e digam aos discípulos dele o seguinte: "Ele foi ressuscitado e vai adiante de vocês para a Galileia. Lá vocês vão vê-lo." Era isso o que eu tinha a dizer para vocês. Mateus 28.5-7


Porém Pedro se levantou e correu para o túmulo. Abaixou-se para olhar e viu somente os lençóis de linho e nada mais. Aí voltou para casa admirado com o que havia acontecido. Lucas 24.12

Maria Madalena tinha ficado perto da entrada do túmulo, chorando. . Os anjos perguntaram: -Mulher por que vocês está chorando? Ela respondeu: -Levaram embora o meu Senhor, e eu não sei onde puseram! Depois de dizer isso, ela virou para trás e viu Jesus ali de pé, mas não o reconheceu. Então Jesus perguntou: -Mulher por que você está chorando? Quem é que você está procurando? Ela pensou que era o jardineiro e por isso respondeu: -Se o senhor o tirou daqui, diga onde o colocou. -Maria, disse Jesus. -Rabôni! (Mestre) e Jesus disse: -Não me segure, pois ainda não subi ao meu Pai. Vá se encontrar com os meus irmãos e diga a eles que eu vou subir para aquele que é o meu Pai e o Pai deles, o meu Deus e o Deus deles." João 20.11;13-17 

E para falar sobre a Páscoa não poderia deixar de citar os alimentos que estão presentes na comemoração desta festividade tão importante para a vida de todos nós, cristãos. Como celebramos essa data tão especial juntamente com nossos familiares, acredito que uma grande quantidade de pessoas ainda acredita ser necessário estar presente as comidas tradicionais, para tornar o dia mais agradável, aumentar o entrosamento com nossos queridos no momento de matar a saudade, de agradecer pelo ato de Jesus e pelas bênçãos recebidas por amar nosso salvador acima de tudo e pela obediência aos seus mandamentos, e também porque comer é algo indispensável, afinal todos precisam alimentar-se. O mais importante é que estas comidas não representem a atração principal, mas sim sejam coadjuvantes de um ato em que deve prevalecer o significado da ressurreição de Jesus como expressão total de paz. Em termos apenas de curiosidade, apresento aqui a origem e a ligação desses alimentos com a Páscoa:

O ovo de Páscoa representa a maneira que muitas pessoas possuem de expressar afeto aos que querem bem, como familiares e amigos queridos, com os desejados ovos de chocolate. Esse ovo simboliza o nascimento, uma nova fase que marca o recomeço da vida. Esse significado data de muito anos atrás, na Grã Bretanha e na Alemanha, mais precisamente. Naquela época os ovos serviam como forma de felicitação entre as pessoas queridas. Eles não eram de chocolate, nem ao menos eram comestíveis e continham uma mensagem no interior. A ideia de substituir esses ovos não comestíveis por exemplares de chocolate foi dos franceses, quando a tão amada guloseima chegou a Europa. Esses fizeram isso como uma maneira de apresentar a novidade à sociedade.

O bacalhau feito no almoço de Páscoa teve sua origem na Idade Média devido a uma dieta feita pelos cristãos durante esse período. Por ser um peixe saudável, rico em ômega 3, cálcio, magnésio e por contribuir para a manutenção do sistema imunológico, bem como a diminuição da quantidade de colesterol e triglicerídios no sangue, além de prevenir doenças cardíacas, passou a ser consumido durante todas as épocas do ano.

A colomba pascal também tem uma história bastante interessante. Originária da nobreza, pela decisão de um rei chamado Lombardo Aboino que vivia atormentado e alimentando planos de vingança contra a resistência militar na sua cidade. Após um confeiteiro local apresentá-lo um pão doce em formato de uma colomba (denominação italiana para pomba) que é o símbolo da paz, resolveu desistir da vingança. Um motivo a mais para representar a paz nesta data.

O coelho de páscoa retrata a fertilidade, devido a sua rápida capacidade de reprodução, o que representa a preservação da espécie. Existe uma lenda alemã antiga que conta a história de uma mãe com poucos recursos que decidiu presentear seus filhos na Páscoa dando aos pequenos ovos coloridos como lembrança. Ela os colocou em um ninho, mas na hora em que as criançasanimadas foram correndo buscar os seus ovos de Páscoa, o coelho da família passou correndo, esbarrou no ninho, o que consequentemente fez com que os ovos rolassem e alguns acabaram ficando escondidos. Essa coincidência fez com que as crianças pensassem que os coelhinhos traziam e escondiam os ovos, ocasionando a brincadeira de 'caça aos ovos de Páscoa'.

Apesar das interessantes histórias sobre essas comidas tão cobiçadas hoje em dia, a Páscoa é muito mais do que apenas comer ovos, coelhos de chocolate e caixas de bombom, ou de trocar essas guloseimas entre familiares e amigos de trabalho e do convívio social. Com o passar dos anos, o tradicional significado da comemoração do domingo de Páscoa tem perdido cada vez mais o sentido devido a humanização dessa data plenamente bíblica pela tentativa de transformá-la em mais um feriado comercial. Uma pesquisa feita nos Estados Unidos, país tradicionalmente cristão, aponte que isso é muito frequente, visto que cerca de 44% das pessoas entrevistadas, principalmente entre as mais novas entre a faixa de 18-27 vivem essa 'humanização' da Páscoa por terem crescido dentro dessa realidade, e/ ou também estarem afastados da verdade contida nas escrituras sagradas.

Por isso, neste domingo antes de confraternizar com nossos entes queridos e amigos, devemos realizar uma profunda reflexão sobre ao valor e importância da Páscoa como a principal celebração por representar o fundamento da fé cristã. Marcado historicamente pelo amor incondicional do Nosso Salvador, que resultou na entrega total de Jesus Cristo, que foi traído, acusado injustamente, escarnecido e sacrificado com a finalidade de nos libertar para renascermos do seu amor. A ressurreição que representa a vitória da vida, restauração da alegria. E também para fazer uma autoavaliação sobre o que temos feito, e quão gratos temos sido em retribuição a esse gesto salvador.

Nós somos testemunhas de tudo o que ele fez na terra de Israel, inclusive em Jerusalém. E depois o mataram, pregando-o numa cruz. Porém Deus ressuscitou Jesus no terceiro dia e também fez com que ele aparecesse a nós. Ele não foi visto por todo o povo, mas somente por nós, que somos as testemunhas que Deus já havia escolhido. Jesus nos mandou anunciar o evangelho ao povo e testemunhar que ele foi posto por Deus como Juiz dos vivos e dos mortos. Todos os profetas falaram a respeito de Jesus, dizendo que os que creem nele recebem, por meio dele, o perdão dos pecados. Atos 10. 39-43

Amanda Levita
Estudiosa da Bíblia Sagrada
#############################################################################

Visite também meus perfis nas redes sociais:
YouTube: Amanda Levita
Facebook: Entre Culturas
Twitter: twitter.com/amandalevita28
Instagram: instagram.com/amandalevita28
Google+: Amanda Levita 

Nenhum comentário:

Postar um comentário