segunda-feira, 30 de março de 2015

Resenha de 'O filho do pecado'

Olá para todos! Hoje vou postar mais uma resenha e desta vez é de um livro que li há um tempinho, chamado 'O filho do pecado'. Se trata de um exemplar enviado pelo autor Fernando H. de Marchi,  pouco conhecido, que possui 422 páginas e é uma obra de ficção-científica e drama.
A história se passa em uma cidade fictícia, onde tudo é comandado por um ambicioso e influente empresário. É ambientada em um cenário futurista onde, os personagens, em alguns momentos, relatam fatos concernentes aos dias atuais como uma forma de criticar certos absurdos que ocorrem na atualidade. É repleto de robôs, tecnologia de ponta, experimentos científicos, inteligência artificial e outras coisas presentes nas obras do gênero, tudo com a finalidade de desenvolver a temática principal do livro, a religião.
O autor surpreende, porque, apesar de aparentar inicialmente ser alguém tentando denegrir a religião, no decorrer da leitura, é possível perceber o contrário, que se trata de um indivíduo com o objetivo completamente oposto, o de conscientizar as pessoas sobre a importância, segundo ele, de ler a Bíblia frequentemente e mostrar o verdadeiro significado da religião, sem banalidades nem fanatismos.
Apresenta pontos positivos e negativos, como: conteúdo é de fácil compreensão e convoca, de fato, as pessoas à reflexão sobre as crenças religiosas. A leitura não me surpreendeu inicialmente porque o 1º capítulo é chato mas, muda consideravelmente a partir do 2º e é capaz, daí em diante, de desenvolver a curiosidade do leitor, porém, peca por apresentar, alguns, diálogos longos e um pouco cansativos em alguns capítulos, além de precisar passar por uma revisão ortográfico, por apresentar erros gramaticais. 
Eu não sou uma pessoa que segue religiões cristãs mas considero que o livro é bom e capaz de alcançar o seu objetivo, o de fazer com que o leitor leia a Bíblia cristã e reflita sobre Deus, seus ensinamentos e propósitos em nossas vidas. Lembrando que o autor deixa claro que sua obra não é vinculada a nenhuma religião, nem direcionada exclusivamente a católicos ou evangélicos. Leitura recomendada.


*"Só porque não vemos uma saída, não significa que ela não exista! Às vezes precisamos apenas chegar mais perto para poder enxergar."
*"Nós estamos na verdade justamente recebendo o castigo que merecem as nossas ações."
*"Deus nos conhece mais do que nós mesmos, e que sabe muito mais do que podemos imaginar, até mesmo sobre o que ainda não aconteceu!"
*"Só vivenciando é que poderemos conhecer nossas reações, pensamentos e sentimentos interpolados à fé, e então sentir sua verdadeira profundidade."
*"Aprendeu a se conhecer melhor! Ele se desesperou e se arrependeu da fuga quando percebeu que foi fraco, e se tornou muito mais forte!"
*"A busca por Deus deve ser constante, da mesma forma que procuramos estar perto de nossos amigos constantemente. A maioria das pessoas acha que o pouco que ouviram falar sobre Deus é o suficiente, mas nunca o buscaram diretamente em sua casa, a Bíblia, para que pudessem realmente conhecê-lo!"

*"Não temos mais o direito de pensar, ou seja: vivemos em meio a uma repressão de pensamentos que é feita com o pretexto de liberdade e tolerância!"
################################################################################
Visite também meus perfis nas redes sociais:
YouTube: Amanda Midori
Facebook: Amanda Midori
Twitter: twitter.com/amandamidori__
Instagram: instagram.com/amanda.midori
Google+: +AmandaMidoriLimaTeixeira

4 comentários:

  1. Muito boa esta resenha, mostra sem necessidade de spoilers, a ideia principal do livro. Concordo sobre os primeiros capítulos, são muito descritivos, mas necessários para contextualizar a narrativa. Talvez se essa descrição fosse diluída ao longo dos capítulos, tornaria a leitura mais fácil. Porém, foi uma escolha do autor, e ao meu ver, não tira o mérito da obra. A intensão do livro é fazer um reflexão positiva sobre a religião cristã. O fato dos capítulos iniciais parecerem denegrir a religião, faz parte de um técnica argumentativa bem comum: primeiro é mostrado uma ideia inicial, depois esta é desconstruída, mostrando suas falhas e contradições. Essa intensão é reforçada com a redenção do Gabriel, um ateu convicto. Eu gostei muito desse livro, até porque sou fã de carteirinha da ficção científica, mas vejo que, ao tratar de um tema tão polêmico como a religião, acaba desagradando muita gente, tanto os ateus de plantão, como os religiosos muito conservadores, que provavelmente desistiriam da leitura já nos capítulos iniciais, ou discordariam da interpretação sobre a Bíblia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só agora vi que troquei "intenção" por "intensão"...

      Excluir
  2. Livro muito bacana. Inicialmente, aparenta criticar a crença em Deus e as religiões. Porém, mostra tanto o lado bom quanto o lado ruim do Ateísmo e o Religioso. Umas das interpretações da Bíblia/Religião mais singulares que vi. Recomendo tanto para religiosos quanto para ateus. Sou ateu convicto e mesmo assim o livro me fez refletir como pode ser 'tratado' Deus. Um autor pouco conhecido mas que tem belo exemplar!

    P.S. Estava gratuito na Amazon

    ResponderExcluir
  3. Li esse livro a um tempinho também, quando o autor me forneceu uma copia dele. Achei o livro com uma premissa muito interessante por conta de juntar um crítica(porque ele critica alguns aspecto da religião, mas faz todo o apanhando da necessidade do ser humano viver a sua fé em Deus) a religião e um cenário futurista. É um livro que eu recomendo tanto para aqueles que segue uma religião, como para quem não segue, porque é um livro que trabalha muito com a interpretação subjetiva do leitor, pois várias vezes ele somente laça uma questão sem nenhuma hora dá uma solução. Sem falar que leva o leitor também a refletir sobre o avanço da ciência e os limites entre o progredir científico e o que é ético. Mas confesso que em algumas partes achei o livro cansativo e prolixo, ficava rezando para certas partes passar logo. E também sentir a falta de o autor criar um "enredo" para os outros personagens. Mesmo assim recomendo a leitura.
    Muito boa sua resenha, gostei!
    Bjs

    ResponderExcluir